• Gabriela Braun

Você se desculpa pelo quê?


Ser mãe tem sido um dos maiores desafios que já enfrentei na vida. Absolutamente tudo na minha vida mudou com a maternidade, desde a minha compreensão sobre quem eu sou até a forma de ver o mundo e as outras pessoas. As pessoas com quem eu me relacionava antes da maternidade e as pessoas com quem passei a me relacionar após a maternidade mudaram. Meu corpo mudou e, ouso dizer, minha alma mudou. Ser mãe me mantém em uma posição extremamente desconfortável praticamente o tempo todo e para conseguir conviver com esse desconforto eu precisei ressignificar diversas crenças que carregava comigo. Foi então que parei de me desculpar.


Parei de me desculpar sobre a minha escolha no modelo de parto que eu decidi ter. Nenhuma mulher precisa justificar, muito menos pedir desculpas, pela forma como decide acolher e lidar com o nascimento do seu filho. Mães merecem informação sobre as possibilidades e consequências de cada escolha, ao invés de julgamentos.


Parei de me desculpar por me sentir uma péssima mãe nos primeiros meses do meu filho. Por desejar, em alguns momentos, que ele não existisse. Por chorar escondida e fingir que a dor não me consumia por dentro.


Parei de me desculpar pelo meu corpo. Sabe aquela frase que a gente diz quando encontra uma amiga com o corpo sarado: “Nossa, logo vou voltar a malhar, estou assim porque ando desleixada.” Tudo na vida tem um tempo. Levamos nove meses (na grande maioria) para formar uma nova vida e desejamos que nosso corpo volte a ser como antes em um mês.


Parei de me desculpar porque meu filho não dormia a noite toda enquanto o filho da minha amiga dormia 12 horas seguidas. Crianças são diferentes, possuem tempos de aprendizados diferentes. Portanto, se meu filho não dorme a noite toda não preciso ficar buscando desculpas e procurando erros pelo caminho.


Parei de me desculpar pelas vezes em que não senti desejo de fazer sexo, mesmo quando meu marido estava afim. Quem sofreu uma descarga hormonal e emocional imensa fui eu, sendo assim, conquistei o direito de decidir quem toca no meu corpo sem me sentir culpada com isso.


Parei de me desculpar porque meu filho não é sempre do jeito que eu gostaria que ele fosse. Filhos são pessoas independentes, com desejos, necessidades distintas das nossas. Quando entendi que meu filho não esta no mundo para realizar meus sonhos, mas os dele, parei de pedir desculpas pelas suas escolhas.


Parei de pedir desculpas por precisar de ajuda. Não sou, nem pretendo ser a mulher maravilha. Ser mãe, cuidar de uma criança, educar, ser mulher, profissional, esposa, filha, vizinha, amiga, irmã, entre tantos papeis que desempenhamos dá um trabalho danado. Quando temos parceria, rede de apoio, amigos, companheiros, fica mais fácil. Não vou pedir desculpas por precisar de ajuda.


Por fim, parei de pedir desculpas por amar demais, abraçar demais, beijar demais, dar colo demais ao meu filho. Porque entendi que quanto mais amor eu distribuo, mais amor eu recebo de volta.



E você, pelo que parou de se desculpar quando se tornou mãe?

4 visualizações

(51) 98179-3735

©2019 by Maternidade Além do Infinito.