• Gabriela Braun

Manheeeeeê, quero minha chupeta!

No final de 2017 Rafael aceitou largar a chupeta do dia, mas não abriu mão do bico da noite. A expectativa foi de que ele entregaria para o papai noel. Nada feito. Ele não aceitou entregar a chupeta e, mesmo sabendo da importância dele deixa-la por causa da dentição, resolvemos não forçar. Porque entendemos que algumas coisas precisam ser naturais, como o desfralde e a troca de algo que tenha muito significado para a criança.


A chupeta, junto com a naninha que ele carrega desde os 4 meses, significava segurança para o Rafael. E tirar isso dele forçadamente poderia gerar algo que pode parecer bobo, mas que ele iria carregar pelo resto da vida.


Então ele ficou com a chupeta da noite. No inicio de 2018 ele me pediu um brinquedo.

Perguntei se trocaria pelo bico e, para minha surpresa, me disse que sim. Eu já havia proposto trocar por outros brinquedos anteriormente, mas ele não aceitou. Dessa vez foi diferente.


Fomos à loja juntos e compramos o brinquedo. Ele saiu realizado da loja. Entramos no carro e pedi que ele me entregasse a chupeta. Ao entregar ele ainda confirmou: a naninha não né

mamãe? Respondi que não, que a naninha ele poderia ficar.


Naquele dia à noite ele me pediu a chupeta. Disse que poderia dar se ele me devolvesse o

brinquedo porque havíamos feito uma troca. Ele ainda insistiu dizendo que ia chupar só um

pouquinho e me devolvia. Disse a ele que se quisesse o bico precisaríamos devolver o

brinquedo.


Então ele aceitou dormir sem o bico, agarrado no brinquedo. E nunca mais pediu.

Algumas semanas depois, ele me disse que tinha saudades da chupeta, mas agora era menino grande. Ouvir essas coisas me enche de orgulho, mas também me faz ver que ele tá crescendo e se percebendo como menino com desejos e autonomias. E bate um pinguinho de saudade das coisas boas da maternidade de bebês!





Cada criança tem seu tempo para crescer, abrir mão de algo, amadurecer. O que nós, pais e

mães precisamos ter claro é que é o tempo dela e não o nosso.


Como saber se a criança esta pronta para uma mudança?


Através da observação. Precisamos conhecer verdadeiramente nossos filhos e compreender o que esta por trás dos seus medos, suas inseguranças e ajuda-los a lidar com isso. Porque crescer assusta! É bom, mas dá medo! E se você forçar o processo sem respeitar o tempo deles pode gerar mais insegurança e problemas de autoestima.


E por ai, me conta, seu filho usa ou usou chupeta? Como foi para ele deixar de usar?


#desenvolvimentoinfantil #naninha

8 visualizações

(51) 98179-3735

©2019 by Maternidade Além do Infinito.